Santa Margarida Maria Alacoque, a esposa do Sagrado Coração de Jesus

Somente poderemos amar a Deus de modo perfeito, se ele O amar em nós. Todo esse amor brota de uma única fonte, o Sacratíssimo coração de Nosso Senhor Jesus Cristo. De tal modo, nos é possível ter um coração semelhante ao D’ele, porque possui um coração humano e divino.


Em virtude disso, uma das mais belas devoções preservadas pela Igreja, é prestada ao Sagrado Coração de Jesus. Entretanto, pouco se sabe sobre sua origem, e o que realmente serviu para o início de tão belo culto.



O Papa Pio XII em sua carta encíclica Haurietis Aquas, afirma que tal devoção tem seu início com o advento da Encarnação de Cristo, onde o Seu coração se faz humano, pois: “O adorável coração de Jesus Cristo pulsa de amor ao mesmo tempo humano e divino desde que a Virgem Maria pronunciou aquela palavra magnânima: ‘Fiat’.” [1]

Essa devoção se apresenta de forma concreta diversas vezes na Sagrada Escritura, dentre elas, o ato de São João ao encostar a cabeça em Jesus na última ceia; na crucifixão, onde jorra sangue e água; e o momento em que São Tomé toca a chaga de Cristo.


Não obstante, ao longo da gloriosa história da Igreja de Cristo, essa devoção cresce de forma privada e gradual nas ordens religiosas, de forma particular por: “São Boaventura, Santo Alberto Magno, Santa Gertrudes, Santa Catarina de Sena, o Beato Henrique Suso, São Pedro Canísio e São Francisco de Sales. A São João Eudes deve-se o primeiro ofício litúrgico em honra do Sagrado Coração de Jesus, cuja festa se celebrou pela primeira vez, com o beneplácito de muitos bispos da França, a 20 de outubro de 1672.” [2]


Entretanto, Santa Margarida Maria Alacoque, possui um lugar especial na propagação de tão excelsa devoção. Pois foi a ela, por parte de Deus, confiada essa missão.


Santa Margarida foi uma religiosa da Ordem da Visitação. Ainda na sua juventude, passou por um momento delicado, uma grave doença, que a privava de diversas atividades, acarretando consigo inúmeros sofrimentos, e por intercessão da Santíssima Virgem Maria Mãe de Deus, foi curada.


Após a Milagrosa cura, entrou para o mosteiro de Paray-le-Monial. Como uma autêntica santa, isenta de todo relativismo conceitual, deixou-se guiar plenamente por Cristo, trilhando o caminho da abnegação e da cruz, comendo o pão da humilhação, alcançou a conformidade do seu coração ao de Cristo.

Sua força para resistir a toda tentação e humilhação estava no Santíssimo Sacramento, O qual, passava intensas horas adorando. Foi aí, que começaram as revelações divinas. Jesus então lhe promete que fará dela a esposa do seu Sagrado Coração, e diz: “Farei de ti o vaso do meu amor e da minha eleição, a vítima do meu coração.” [3]


Em nova revelação, deu a conhecer a ela o Seu Coração, dizendo:

Eis aqui o coração que tanto amou os homens, até se esgotar e consumir para testemunhar-lhe seu amor e, em troca, não recebe da maior parte senão ingratidões, friezas e desprezos”. [4]

Fez então 12 promessas a Santa Margarida [5]:

1ª Promessa: Darei aos meus devotos as graças necessárias para cumprirem os deveres de seu estado;

2º Promessa: Farei reinar a paz em suas famílias;

3º Promessa: Eu os consolarei em todas as suas aflições;

4º Promessa: Serei seu refúgio seguro, durante a vida, e, sobretudo, na hora da morte;

5º Promessa: Derramarei abundantes bênçãos sobre os seus empreendimentos;

6º Promessa: Os pecadores acharão em meu coração a fonte e o oceano de misericórdia;

7º Promessa: As almas tíbias se tornarão fervorosas;

8º Promessa: As almas fervorosas elevar-se-ão rapidamente a uma grande perfeição;

9º Promessa: Abençoarei as casas em que se achar exposta e for venerada a imagem do meu Coração;

10º Promessa: Darei aos sacerdotes o dom de tocar os corações mais endurecidos;

11º Promessa: As pessoas que propagarem esta devoção terão seus nomes escritos para sempre no Meu Coração e jamais serão apagadas;

12º Promessa: O amor todo poderoso do meu coração concederá a graça da perseverança final a todos os que comungarem na 1º sexta-feira do mês, por nove meses seguidos.


Jesus ordenou a Santa, que propagasse a devoção ao Seu Sagrado Coração, bem como, tudo o que lhe havia dito, para que todos O conhecessem. Ela então, persevera no seu ideal: “Não é pela grandeza de nossas ações que agradamos a Deus, mas pelo amor para com ele, que fazemos.” E na sua simplicidade, propaga e exala a devoção.


A Santa foi incompreendida por muitos, porém, Jesus estava ao seu lado, sempre lhe derramando as graças necessárias, com o Coração pulsante de amor por ela. Recebeu o apoio do seu diretor Espiritual na propagação da devoção e morreu em 1690, em odor de Santidade.


Santa Margarida Maria Alacoque V.S.M, Rogai por nós!

Sagrado Coração de Jesus, Nós temos confiança em Vós!



[1] PIO XII, Papa. Carta Encíclica Haurietis Aquas (Sobre o culto do Sagrado Coração de Jesus. Roma, 1956. Disponível em: <http://w2.vatican.va/content/pius-xii/pt/encyclicals/documents/hf_p-xii_enc_15051956_haurietis-aquas.html>

[2] Idem

[3] Santa Margarida Maria Alacoque e o Sagrado Coração de Nosso Senhor Jesus Cristo, Produção Marcos Tadeu. Jacareí-SP: Santuário das aparições de Jacareí. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=0ibf4rOv3Ds&t=2069s>.

[4] Idem

[5] Manual do Sagrado coração de Jesus. 93. ed. Ipiranga-SP: Loyola, 2018.


Autor:


Felipe Braz

(Diocese de Uruaçu - GO)

Pastores Dabo Vobis
  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco